Entenda Como os Hormônios Podem Ajudar a Combater o Envelhecimento

15/11/2011 11:50

    Os hormônios são mensageiros químicos do corpo que regulam o crescimento, o metabolismo e o desenvolvimento, controlam as funções de muitos tecidos, auxiliam as funções reprodutivas. “Estas substâncias estão para o nosso organismo assim como um soldado está para o quartel", compara o ginecologista Ítalo Rachid, diretor científico do Grupo Longevidade Saudável e membro da Academia Mundial de Medicina Anti-Aging.

    Rachid explica que os hormônios penetram o maquinário celular e, dentro do núcleo das nossas células, vão comandar um conjunto de reações e ordens que uma célula deve executar para se manter viva e se comunicar adequadamente com outras células.

    Em todas as pessoas, esse processo de produção de hormônios começa a ser afetado e reduzido a partir dos 25 anos. “E para renovar e reparar as células, é preciso fazer a modulação hormonal”.

    Rachid faz uma comparação interessante para explicar o processo: a nossa produção de hormônios com uma conta bancária. “Neste contexto, vamos pensar que a construção, reparação e otimização são os depósitos – o anabolismo - e os saques contra esta conta são os processos metabólicos. À medida em que envelhecemos, a produção de hormônios diminui e, com isso, reduzimos a capacidade de renovação e reparo, ou seja, vamos começar a entrar no vermelho a partir dos 30 anos, já que temos mais saques do que depósitos a partir desta idade. Esse desequilíbrio hormonal crônico e acumulativo é a pilastra mor dos processos degenerativos de envelhecimento”.

    Para o médico especialista em longevidade, os hormônios não diminuem porque envelhecemos. “Nós envelhecemos porque os hormônios caem”, afirma. Mas isso não significa que ao recuperar os níveis hormonais em queda, a pessoa ficará jovem para sempre. “Ao tratar, pode retardar o envelhecimento e reduzir doenças e danos no processo degenerativo”.

    Cada pessoa deve ser vista como um caso individual. Mesmo que duas pessoas tenham o mesmo sexo e idade, não significa que necessitam da mesma modulação hormonal.

Dosagem hormonal

“A modulação hormonal é o método através do qual, a partir de exames laboratoriais, traçamos o perfil hormonal do paciente detectando suas necessidades hormonais. Com isso, podemos iniciar um programa de equilíbrio metabólico para que o paciente atinja um padrão hormonal compatível com o que se deseja. A melhor curva hormonal é aquela comparável a nossa juventude plena, ou seja, próximo dos 18 a 25 anos. Portanto, para uma ótima resposta metabólica, buscamos resgatar níveis hormonais compatíveis com a juventude."

    Na modulação hormonal, a suplementação se dá através de hormônios e outros nutrientes, como aminoácidos, vitaminas e antioxidantes buscando atingir níveis hormonais compatíveis com os de nossa juventude ou inicio da vida adulta. Os hormônios utilizados para terapia são os conhecidos como bioidênticos, aqueles exatamente iguais aos produzidos por nossas

glândulas. “Hoje, com a engenharia genética, modificamos o núcleo de uma bactéria e fazemos com que ela produza os hormônios tais quais os nossos, o que é um tremendo avanço científico”, comemora Rachid.

    O médico informa que existem sete grandes pausas (em analogia à menopausa) que podem acometer os seres humanos a partir dos 25-30 anos de idade. "A partir daí formamos um registro, como a nossa impressão digital, considerando a forma como essas quedas de hormônios ocorrem, a intensidade, qual está caindo mais ou menos”, explica Rachid. Por isso é tão importante que cada pessoa tenha um tratamento hormonal adequado.

“Dosar hormônios é tão importante quando dosar glicemia, hemograma, colesterol. A dosagem hormonal deve fazer parte da rotina médica”, prega o especialista. E quem começa a fazer uso da terapia hormonal não significa que terá de fazê-la a vida toda. “O uso dos hormônios vai seguir uma rotina de avaliações periódicas. Depois de montado o programa de modulação hormonal, o paciente é orientado a voltar ao consultório num prazo máximo de 90 dias, para reavaliações clínicas e laboratoriais”.

Por Márcia Moreno

Fonte:

http://www.educacaofisica.com.br/noticias/entenda-como-os-hormonios-podem-ajudar-a-combater-o-envelhecimento